Blog : Blog

Passo a passo para “ressuscitar” a bateria do seu carro

Passo a passo para “ressuscitar” a bateria do seu carro

Você já está atrasado para um compromisso. Se arruma rapidamente e vai para a garagem pegar o carro. Quando tenta ligar o carro, a surpresa: sem sinal de energia. A bateria arriou. E agora?

O problema é comum, fruto de uma certa dose de cuidado com a manutenção, mas não entre em pânico. Há salvação para esses casos e vamos mostrar como proceder. Preparado?

A saída mais comum para o caso é fazer conexão com outro carro. Na prática, você fará a ligação da sua bateria (negativo/positivo) com a bateria de veículo auxiliar. Para isso, conecte os cabos positivo e negativo na bateria de outro veículo (com o motor ligado) e, após alguns segundos, dê a partida no seu carro. Fácil, não é? Mas atenção: não inverta os polos, ou o seu problema poderá ser maior do que uma simples bateria arriada.

Depois de recarregada a bateria, desconecte os cabos no outro veículo. É importante deixar o carro com bateria arriada ligado por cerca de 15 minutos até ele voltar a funcionar normalmente. É importante também não forçar o veículo durante o trajeto e, assim que possível, procurar um auxílio em uma oficina. É lá que você terá certeza se está tudo ok com a bateria, evitando a mesma dor de cabeça na hora de ligar o carro novamente.

CUIDADOS ESPECIAIS
Além de utilizar os equipamentos corretos, nunca tente recarregar a bateria com fios domésticos. É necessário ainda evitar que os fios negativo e positivo da bateria se toquem. Caso isso ocorro a bateria pode ser danificada e, em casos mais graves, poderá haver princípio de incêndio. Isso acontece porque a recarga da bateria libera hidrogênio. Em contato com a fagulha de uma chama o gás, que é explosivo. Se não tiver seguro para manipular os fios, procure ajuda de profissionais ou amigos.

A manutenção do veículo é necessária para evitar surpresas no trânsito. São tarefas simples e que você mesmo pode fazer em casa. Se não tiver conhecimento do assunto, não hesite e leve o carro até uma oficina. Nós da Autosimples podemos te ajudar com isso. É só entrar em contato. 😉

Qual o momento certo para vender o seu carro e comprar outro?

Qual o momento certo para vender o seu carro e comprar outro?

Entre o sentimentalismo e a noção de investimento está o momento ideal para a venda do seu carro. Por mais que você tenha paixão pelo seu usado, há um momento em que ele deve seguir outro rumo, assim como você, abrindo a possibilidade para novas experiências com um modelo mais novo. Mas como saber o momento certo? Este é o tema de hoje do nosso blog. Confira!

Vendendo o carro
Existe uma série de fatores que podem fazer com que você queira vender o seu carro. Muitas vezes, aquilo que era tido como um sonho de consumo pode estar virando mais um problema do que uma solução.

É importante, portanto, ficar sempre de olho com os gastos que se vem tendo com o veículo, em especial com a manutenção. É claro que algumas peças rotineiramente podem precisar ser substituídas, no entanto, a partir do momento que as peças que deviam ter longevidade maior e que são mais caras começam a apresentar defeitos, você deve pensar na possibilidade de venda.

Para os que costumam trocar de carro frequentemente, a venda deve ser feita de acordo com o mercado, quando uma queda acentuada no valor do veículo for perceptível. Nesse caso, a venda é uma maneira de não perder muito investimento.

Comprando um carro

Se a venda deve ser bem pensada, a compra não escapa dessa prática. De todo modo, será preciso fazer uma fusão entre o conforto que o bem pode te oferecer, sem trazer futuros problemas, e a viabilidade financeira.

Você deve optar por um carro que não lhe traga os problemas que foram encarados com o ultimo veículo. Portanto, deve comprar um carro de fácil reposição de peças e manutenção, além da previsão de menor depreciação.

Outros fatores como o espaço interno, o tamanho necessário para adaptar-se à família e as características do trânsito da cidade onde o carro rodará devem ser levadas em conta.

Parece básico? Pode acreditar: na prática não é. Ainda bem que você pode contar com a gente em todo esse processo.

Deixe o cuidado do seu carro conosco e nós faremos o resto, combinado?

Até a próxima!

Proprietário: se o seu carro for roubado, peça o valor do IPVA de volta

Proprietário: se o seu carro for roubado, peça o valor do IPVA de volta

Você sabia dessa? Pois é, o tema deste post é real. Quando o seu carro é roubado, você passa a ter o direito de pedir o valor do IPVA pago e que estão relacionados a este imposto de volta.

Este é um direito que está garantido na lei e que deve ser aplicado em todas as unidades do Detran espalhadas pelo Brasil. O procedimento é simples: o contribuinte apresenta os documentos de propriedade do veículo, além de documentos pessoais e o boletim de ocorrência. Atenção, porém, a algumas regras que existem neste pedido de ressarcimento.

Quando o carro é roubado, o requerimento deve ser feito no ano seguinte ao ocorrido. Por exemplo, se os contribuintes tiveram o seu carro roubado no ano de 2016, eles poderão pedir o seu reembolso a partir deste ano. Caso o roubo aconteça neste ano, a restituição deve ser feita só no ano que vem.

Como existem algumas diferenças em relação à forma de funcionamento dos Detran de diferentes Estados, é preciso ficar atento a algumas especificidades. É o caso de quem mora em São Paulo. Nesta região, o governo paga o reembolso em uma determinada conta, geralmente do Banco do Brasil, e ele deve ser sacado em no máximo dois anos. Depois deste período, os valores retornam para a Secretaria da Fazenda e fica depositado por mais cinco anos. Depois disso, o processo é encerrado e a verba volta para o governo.

Além disso, o valor que deverá ser retornado para o contribuinte vai depender sempre da quantidade de tempo que a pessoa efetivamente ficou sem o carro. O cálculo é feito dividindo o valor total pago por 12. Por exemplo, se o IPVA pago em janeiro foi de R$ 1.200 e o veículo foi roubado em abril, ele vai receber de volta R$ 900.

Fica a dica!

Os carros mais vendidos para quem faz 18 anos

Os carros mais vendidos para quem faz 18 anos

Maioridade, carta de motorista em mãos e… um carro. Mas qual escolher? Essa uma das dúvidas mais comuns entre os pais brasileiros que querem deixar o filhote motorizado. Sabemos que, pelos jovens, o modelo mais descolado e veloz é o preferido, mas a realidade é outra nas ruas, e por isso é importante fazer uma escolha consciente para quem ainda não é expert na arte de dirigir.

Do outro lado, as fabricantes estão sempre preocupadas em atrair a atenção do público jovem e têm lançado modelos hiper conectados, com smartphones, centrais multimídia e com preços atraentes para esta faixa etária.

Separamos os 10 veículos mais vendidos para o público jovem:

1 – Novo Uno (Fiat) – É o modelo mais vendido e se destaca pelo design e praticidade na direção.

2 – Chevrolet Onix (Chevrolet) – O veóculo tirou o posto do Celta como o carro mais vendido para os jovens por ter, entre outros diferenciais, o sistema MyLink, que permite conexão com o smartphone via Bluetooth e acesso à internet, além de permitir instalar aplicativos.

3 – Gol (Volkswagen) – O Gol é um dos carros mais vendidos no País há muitos anos. Agora, ele começou a atrair muito o público jovem por ser robustez e confiável na direção.

4 – Ka (Ford) – A nova geração do Ford Ka tem feito a cabeça da garotada. O carro é totalmente conectado e focado na interatividade com smartphones, por meio do sistema My Ford Dock.

5 – HB20 (Hyundai) – É a grande arma da montadora para compradores de 18 anos e apresenta design moderno e acessórios tecnológicos para ninguém botar defeito.

6 – Sandero (Renault) – Com um ótimo espaço interno, o Sandero é o carro preferido da marca entre o público jovem. Os novos modelos do carro também contam com recursos tecnológicos, como o sistema multimídia com tela colorida no painel.

7 – Etios (Toyota) – É tratado como novidade pelos consumidores, mas está chegando forte por ser fabricado pela renomada Toyota. Os pais que já possuem um Corolla, por exemplo, sabem da fama da montadora.

8 – Fit (Honda)– Este modelo é garantia de versatilidade e arrojo, ideal para um consumidor que já busca conforto e opcionais mais elaborados.

9 – March (Nissan) – O March conquista pela simpatia. Para as moças, é um carro compacto, estável e que apresenta boa condução.

10 – C3 (Citroen) – É o veículo mais acessível da marca francesa no Brasil e já vem coletando bons resultados nos últimos anos. Traz design elegante, repleto de curvas, e bom rendimento na cidade.

Para saber mais sobre esses veículos, consulte um dos nossos consultores. Ah, e é claro: fique de olho no nosso estoque. Esse modelos estão sempre aparecendo por aqui!

O carro ferveu. E agora?

O carro ferveu. E agora?

Antes de mais nada, calma. =P Sabemos que a cena não é das melhores, com muita fumaça e um sentimento assustador de que a qualquer momento algo pode acontecer, mas saiba que o super aqueciamento do veículo não é algo raro de acontecer.

Na maioria dos casos, o carro costuma “avisar” a situação com uma certa frequência, mas, caso você imagine que nada vai acontecer – ou que vai dar tempo de chegar no destino sem ter de parar – a fumaça toma conta de todo o ambiente e o caos está formado.

CAUSA
Este é um problema que faz com que o veículo geralmente pare quando há falta de água suficiente no radiador, fazendo com que o motor não seja devidamente arrefecido.

SOLUÇÃO
Neste caso, a primeira coisa que se deve fazer é parar em um lugar seguro; na sequência, ligue o ar quente no máximo para dissipar o calor concentrado no interior do veículo.

Preste atenção na cor da fumaça. Se ela for branca, sinal de que o problema realmente é a água. Caso seja preta, é sinal de que o carro está pegando fogo.

Espere cerca de meia hora para tomar qualquer tipo de atitude. Isso porque o risco de mexer no radiador antes disso é acabar entrando em contato com liquido em ebulição. E tente usar sempre um pano na hora de colocar as mãos no capô.

Depois desse período, coloque água na quantidade indicada e procure um mecânico ou entre em contato com o seguro. O carro deve passar por uma inspeção profissional para saber se não sofreu alguma avaria mais severa.

Até o próximo post!

Saiba quais são os carros que mais consomem combustível

Saiba quais são os carros que mais consomem combustível

Este não é o único item que se deve olhar antes de comprar o carro, mas, hoje em dia, com o preço do combustível oscilando semana após semana, saber o rendimento de determinado modelo por quilômetro rodado tem sido cada vez mais importante. Para auxiliar na análise, o Inmetro divulgou recentemente um ranking completo e atualizado que lista os veículos que mais consomem combustível no Brasil. As informações são relativas a modelos comercializados por aqui, sendo que a pesquisa levou em consideração 983 modelos diferentes de 38 montadoras diferentes.

Para se ter uma ideia, os padrões em relação aos carros compactos, por exemplo, colocam os veículos que consomem 1 litro de gasolina para fazer a partir de 15,8 quilômetros na categoria A (nível máximo de economia). Já os carros que conseguem fazer 8,3 quilômetros por litro ou menos dentro da cidade já classificados na letra E (não econômico).

Compactos
Renault Sandero 2.0 16V – Com etanol, roda 5,9 KM por litro na cidade e 7,3 KM por litro na estrada; com gasolina, faz 8,3 KM e 10,9 KM, respectivamente.

Fiat Punto 1.8 16V Blackmotion Dualogic – Com etanol, roda 6,2 KM por litro na cidade e 7,3 KM por litro na estrada; com gasolina, faz 8,9 KM e 10,6 KM, respectivamente.

Volkswagen Fox 1.6 8V Run – Com etanol, roda 6,5 KM por litro na cidade e 7,8 KM por litro na estrada; com gasolina, faz 9,1 KM e 11,2 KM, respectivamente.

Fiat Punto 1.8 16V Blackmotion – Com etanol, roda 6,4 KM por litro na cidade e 7,4 KM por litro na estrada; com gasolina, faz 9,1 KM e 10,6 KM, respectivamente.

Fiat Punto 1.6 16V Essence Dualogic – Com etanol, roda 6,5 KM por litro na cidade e 7,8 KM por litro na estrada; com gasolina, faz 9,5 KM e 11,5 KM, respectivamente.

Fiat Novo Palio 1.6 16V Sporting – Com etanol, roda 6,7 KM por litro na cidade e 7,9 KM por litro na estrada; com gasolina, faz 9,6 KM e 11,5 KM, respectivamente.

Fiat Punto 1.6 16V Essence – Com etanol, roda 6,6 KM por litro na cidade e 8,1 KM por litro na estrada; com gasolina, faz 9,7 KM e 11,7 KM, respectivamente.

Fiat Novo Palio 1.6 16V Sporting Dualogic – Com etanol, roda 6,7 KM por litro na cidade e 7,8 KM por litro na estrada; com gasolina, faz 9,9 KM e 11,6 KM, respectivamente.

Médios
Audi RS3 Sportback 2.5 20V – Só utiliza gasolina e faz 8 KM por litro na cidade e 9,9 KM por litro na estrada.

Mercedes Benz AMG A 45 4M 2.0 16V – Só utiliza gasolina e faz 8,4 KM por litro na cidade e 11,2 KM por litro na estrada.

Chery Celer 1.5 16V FL, HB FL, SD ACT, SD FL e HB ACT – Com etanol, roda 6,6 KM por litro na cidade e 7,9 KM por litro na estrada; com gasolina, faz 9,2 KM e 11,4 KM, respectivamente.

Confira algumas das muitas curiosidades do universo dos carros

Confira algumas das muitas curiosidades do universo dos carros

Dirigir é bom demais, assim como ter conhecimento. A seguir, reunimos algumas curiosidades do universo dos carros para você se exibir no próximo encontro com os amigos. Tome nota!


Quantidade de carros em todo o planeta
Acredite se quiser, mas estima-se que o número de carros em circulação no mundo está acima de um bilhão de unidades. E mais: nos 15 anos, esse número deve dobrar.

Diferenças nas montagens ontem e hoje
Em 1938, o saudoso Fusca, da Volkswagen, levava, em média, 40 horas para ser fabricado. Hoje, um Celta, da Chevrolet, precisa de 12 horas na linha de montagem para sair rodando por aí.


Primeiro automóvel no Brasil
Henrique Santos Dumont, irmão de Alberto Santos Dumont, pai da aviação, trouxe da Europa um Daimler movido a vapor, em 1893, caracterizando-se como primeiro carro que andou em terras brasileiras. Cerca de 63 anos depois iniciou o processo de fabricação de carros no País. O modelo de estreia? Romi Isetta, um microcarro que fazia 25 quilômetros por litro e atingia a velocidade máxima de 85 quilômetros por hora. O carro foi produzido por apenas cinco anos, com um total de três mil unidades.

O mais veloz
Ferrari? Porsche? O esportivo Bugatti Veyron é o carro mais rápido do mundo disponível no mercado, com velocidade máxima de 431 quilômetros por hora.

Consumo de combustível
Você sabia que a cada três minutos com o carro ligado parado equivalem a um quilômetro rodado?


Usado mais caro da história
O valor mais alto já pago por um usado foi de US$ 10,9 milhões por uma Ferrari GT 250, em 2008. O negócio ocorreu em um leilão em Maranelo e foi adquirido por Chris Evans. O valorização do carro se fez pela participação no filme vencedor do Oscar “Temporada de Caça”.

Carro mais barato do mundo
Produzido e comercializado na Índia desde 2008, o Tata Nano custa, em média, US$ 2,5 mil. A expansão do modelo para outras partes do mundo até o momento foi barrada, por medo da massificação dos carros movidos à gasolina. Já imaginou a qualidade do ar?


Primeiros itens de segurança
O para-choque surgiu em 1897, na República Tcheca, mas, como a peça caiu do carro depois de 15 quilômetros, deixou de ser produzida no País. Os créditos pelo item foram, portanto, para inglês Frederick Simms, que instalou um emborrachado em seu veículo, em 1905. Já o retrovisor surgiu um ano depois, em 1906, pelo francês Alfred Faucher.

Carros monocromáticos
Responsável pela popularização do automóvel, Henry Ford comercializou 15 milhões de unidades entre 1908 e 1927. Dizia Ford “faço carros de qualquer cor, desde que sejam pretos”. Havia uma forte razão para isso, pois a tinta preta era mais barata e tinha secagem mais veloz.

Até o próximo post!

Algumas atitudes que farão você economizar combustível do carro

Algumas atitudes que farão você economizar combustível do carro

Além dos gastos previsíveis, como IPVA, seguro e prestações, é preciso atentar-se também ao consumo de combustível do seu carro. Ou melhor: a forma como o seu veículo está queimando gasolina/álcool. Isso porque é natural que, com o passar do tempo, vícios de direção sejam adquiridos – e com eles um maior consumo por quilômetro rodado.

No post de hoje, separamos dicas certeiras que farão você refletir sobre a forma como dirige.
É garantia de economia, então leia até o final!

Não esticar as marchas na hora da troca
Quanto mais você respeitar a rotação do motor, melhor será o rendimento e o consumo do carro. Se você tem o costume de forçar as marchas, saiba que essa atitude gera consumo desnecessário de gasolina.

Manter cuidados com os pneus
Parece óbvio, mas manter a calibragem dos pneus em dia é outro detalhe que faz toda a diferença quando o assunto é consumo de combustível. O fato é que muitos motoristas esquecem desse detalhe, impactando não só no gasto com gasolina, como também na segurança da direção. A regra vale, inclusive, para o alinhamento e balanceamento do carro, que devem estar sempre em dia.

Usar menos o ar-condicionado
Um dos grandes vilões do consumo de combustível é o ar-condicionado, isso porque ele é operado pelo motor. Em carros populares, com baixa cilindradas, o caso é ainda mais grave. Portanto, sempre que puder (e se sentir seguro), dirija com os vidros abertos.

Não acelerar o carro desengatado
Sabe aquela acelerada para esquentar o carro? Esqueça! Em carros com injeção eletrônica, este hábito já caiu em desuso.

Não acelerar e frear bruscamente
Essa é para os que adoram dirigir de maneira agressiva. Aí vai uma verdade cruel: chegar antes no sinal fechado só vai fazer você gastar mais combustível. Troque as marchas tranquilamente e curta a direção. A cidade está cercada por semáforos, portanto, é ilusão achar que vai economizar muito tempo dirigindo como se estivesse no autódromo.

Manter velocidade constante
Esse é um hábito que ajuda, e muito, na economia de combustível, já que as acelerações e freadas requerem mais empenho do motor, e por consequência, de combustível.

Fazer as manutenções
Por último, mas não menos importante, dirigir um carro com as manutenções em dia é garantia de eficiência e economia. Verifique periodicamente os filtros de ar, de óleo, combustível, faça a substituição das velas e outros reparos que sempre são necessários.

Se precisar de orçamentos competitivos e serviços de qualidade, fale com a gente 😉

Erros que você não pode cometer ao comprar um carro

Erros que você não pode cometer ao comprar um carro

Este é um assunto recorrente entre os nossos clientes e que me merece o destaque no blog de hoje. Atire a primeira pedra quem nunca passou por uma das situações que vamos descrever abaixo e teve de conviver com erros que, em alguns casos, custaram caro. É normal e acontece com frequência, em especial para quem está começando agora no universo dos carros, mas é nosso dever alertar os desavisados, não é mesmo? Então vamos lá! Com vocês, os erros que você não pode cometer ao comprar um carro.

Pensar que o único custo de um carro é a parcela
Ao acrescentar um carro no seu orçamento, lembre-se que este é um bem que não envolve apenas o parcelamento. Além das prestações, é preciso prever outros gastos, como manutenção, combustível, IPVA, DPVAT, seguro, estacionamento e outros custos variáveis que envolvem a utilização de um automóvel. Pense em todas as variáveis e analise se o seu orçamento mensal comporta o carro

Não se atentar à real função do carro na sua rotina
A busca por um carro para os finais de semana é diferente da caça por um veículo para o dia a dia, concorda? Se a sua resposta, for “não”, atenção! A pesquisa por um automóvel não envolve apenas valor, design e marca, como também a característica e como ele vai performar na sua vida. Se você costuma viajar com frequência, pensar em um modelo com bagageiro amplo é pré-requisito. Não basta ser bonito, tem de ser funcional.

Fazer uma compra emocional
Montadoras e concessionárias possuem táticas diversas para atrair os consumidores, que podem incluir viagens e prêmios para quem adquirir carros em determinado período. Segure a sua emoção e pense racionalmente antes de fechar negócio. Se a vantagem oferecida para a compra do carro é interessante e o carro em questão é o que você estava procurando, ótimo! Agora, se você está comprando um carro porque vai ganhar um iPhone, melhor pensar duas vezes, não acha?

Não se atentar ao custo total do financiamento
Na hora de financiar um carro, observe o custo efetivo total dessa operação para saber se você não vai pagar alguns milhares de reais a mais no carro. Cada banco possui uma taxa e forma de comercializar o financiamento de veículos, e isso inclui não apenas juros, como impostos e outros custos até então ocultos. Vá a fundo neste quesito para não ter surpresas desagradáveis. Outra dica: faça várias simulações antes de tomar a decisão. Você vai ver a diferença e, sem dúvida, vai economizar!

Ignorar os pequenos detalhes
Você tem preferências por alguns itens em um carro? Já observou se o carro que você está escolhendo tem todos eles? E a sua esposa/marido e família, gostam de algo em específico? Faça essa reflexão antes de comprar um carro. Vale tudo: vidros e travas elétricas, direção hidráulica, aparelho de som, espaço interno, puxadores, apoios de cabeça e braços, porta-copos… Se você deixar passar esses detalhes, pode se arrepender da compra em pouco tempo. Faça um test drive, analise todas essas questões e, agora sim, com confiança, faça o negócio.

Priorizar o excesso de acessórios
Na hora da venda, é natural que os vendedores ofereçam opcionais mil. Tirando os itens básicos, que podem te ajudar a fazer uma venda futura valorizada, tenha consciência de que alguns acessórios simplesmente não poderão ser explorados como diferenciais, e mais: podem até desvalorizar o veículo. Nós sabemos que a empolgação impera nesses momentos, mas controle-se e analise caso a caso e projete as situações de uso antes de fechar o contrato.

Vender o carro atual por um valor muito baixo
Não se configura um bom negócio desvalorizar o seu usado para conquistar uma boa oferta em um novo, ou até mesmo em uma troca. Considere os valores praticados pelo mercado e, caso o seu carro esteja em boas condições, lute pela manutenção do valor-base, afinal, possuir um veículo é administrar um bem que se desvaloriza com o tempo. Se você não tiver pulso na hora de negociar, com certeza estará perdendo ainda mais dinheiro. As únicas exceções que podemos citar neste tópico é para os casos de modelos que vão sair de linha. Acompanhar as notícias do setor é importante para saber das novidades e negociar no momento certo.

Não perceber que o carro usado foi maquiado
Carros usados ou seminovos sempre têm a marca do antigo dono. Não tem jeito. Alguns deles utilizam a malícia para esconder imperfeições e defeitos do comprador. Fique ligado, pois essa atitude pode render prejuízos no futuro, dependendo da gravidade da situação oculta. Para desvendar alguns dos truques, recomendamos participar da inspeção técnica do carro, avaliar se há alguma assimetria entre as portas, os para-choques e o teto; e não comprar um veículo sem o manual, uma vez que o odômetro do carro pode ter sido adulterado para apresentar uma quilometragem menor, e apenas com o manual é possível checar se houve algum tipo de alteração.

Na Autosimples, esse manual de boas práticas é seguido à risca, portanto, conte sempre com a gente na hora de comprar, vender ou trocar o seu carro. Nós temos o melhor negócio!

Até o próximo post!

O verão vem aí: saiba como evitar o desgaste do seu carro

O verão vem aí: saiba como evitar o desgaste do seu carro

É na estação mais quente do ano que se deve ter atenção redobrada com o seu veículo. Isso porque o excesso de calor pode trazer problemas para algumas áreas do carro. Confira abaixo algumas dicas que podem te ajudar com a manutenção.

Lataria
Estacionar em um local coberto é o primeiro passo para manter a pintura em bom estado durante os dias quentes. Vale tudo, até a sombra de uma árvore. Neste caso, o único ponto de atenção é com os resíduos que caírem sobre o teto do carro. No final de semana, aproveite para fazer uma lavagem com cera protetora.

Pneus
O sol escaldante aumenta a temperatura do solo e, com isso, o atrito da borracha é mais intenso. Para evitar desgaste em excesso, mantenha a calibragem sempre em dia, lembrando de fazer esta tarefa com quando os pneus estiverem frios. Manter os pneus calibrados é evitar desgaste e o consumo de gasolina desnecessário, além de melhorar a estabilidade do veículo.

Ar-condicionado
Uma dica valiosa: para curtas distâncias na cidade, não vale a pena ligar o sistema. Na estrada, porém, é praticamente obrigação, já que deixar a janela aberta gasta mais combustível, pela pressão aerodinâmica do vento. Se o carro ficou sob o sol forte, o ideal é andar algumas quadras com a janela aberta antes de ligar o equipamento. Assim, o ar frio toma o lugar do quente e o veículo resfria mais rapidamente.

Líquidos
Checar os líquidos do veículo no verão é evitar surpresas desagradáveis. Os primeiros itens a serem observados são o nível de água e o aditivo do radiador. Fique de olho também nos níveis do fluido do freio, da direção hidráulica, do sistema de arrefecimento do motor, dos lavadores do para-brisa e do vidro traseiro, do óleo do motor e do câmbio.
Tanto para a rodagem na cidade quanto na estrada, é aconselhável ter o sistema de resfriamento em dia, para evitar superaquecimento, um problema muito recorrente em dias mais quentes.

Borrachas de vedação
Lembra da primeira dica? Pois é. Altas temperaturas e sol forte também podem ressecar as borrachas de guarnição. A saída é encontrar uma vaga na sombra para estacionar. A maresia e a areia também são grandes vilãs. Por isso, quem costuma ir à praia precisa lavar o carro com mais frequência. Tenha atenção especial com as palhetas do limpador de para-brisa. Se estiverem corroídas, podem prejudicar a visibilidade em dias de chuva. Aditivos especiais para o fluido dos lavadores aumentam a vida útil das palhetas.

Estofamento
É a parte que apresenta mais rapidamente os efeitos da exposição ao sol, como descoloração e manchas. Ao deixar o veículo muitas horas estacionado no sol, proteja os bancos com capas. Para as áreas plásticas, a dica é usar uma proteção sanfonada no painel. Também existem produtos no mercado para proteger os bancos, à base de silicone. Sem isso, existe o risco do revestimento de couro ressecar e rasgar com bastante facilidade.

Se mesmo assim você teve algum imprevisto com o seu carro, fale conosco e teremos prazer em ajudar!