Blog : Blog

Ferramentas que você DEVE manter no seu carro

Ferramentas que você DEVE manter no seu carro

Uma pessoa preparada vale por duas, e isso também se aplica quando você estiver no carro, afinal, surpresas desagradáveis podem acontecer, infelizmente. Ter ferramentas à mão, por exemplo, é fundamental para resolver pequenos problemas e seguir viagem até a assistência mais próxima.

Neste post, separamos alguns itens que vão te ajudar em situações desagradáveis. Confira!

Uma garrafa de 2L com água
Você pode beber, claro, mas também usá-la para limpezas emergenciais. Uma flanela é também muito bem-vinda.

GPS ou mapas off-line
Vamos admitir: se perder não é algo raro. Se a região for isolada, a situação é ainda pior, já que o sinal de internet pode não funcionar. Para resolver o caso, tenha em mãos um aparelho de GPS ou programe o Waze e Google Maps para ter acesso a mapas off-line.

Chave de fenda multi-cabeça
A maioria dos objetivos do carro é presa por meio de parafusos. Caso algo saia do lugar durante um trajeto, esta ferramenta é a solução imediata para manter tudo no seu devido lugar.

Alicates
Um conjunto de alicates também te ajuda em situações em que há necessidade de apertar ou soltar peças. Lembre-se: seus dedos não têm toda essa força!

Martelo
Não dá para dispensar a melhor ferramenta já criada pelo homem, concorda? As funções de um martelo são múltiplas e, sem dúvida, serão úteis em uma situação complicada.

Fita adesiva (Silver Tape)
Essa maravilha cola praticamente tudo e pode te ajudar em várias tarefas.

Kit de primeiros socorros
Em um momento de apuros, é ele quem vai te salvar!

Carregador multiuso para carros
Alguns aparelhos permitem carregar até quatro dispositivos ao mesmo tempo. Ajuda muito na hora de carregar um celular para fazer uma ligação de emergência, por exemplo.

Lanterna LED
O que acontece se o seu carro parar à noite em uma estrada escura? Sempre mantenha uma lanterna LED em seu veículo pronta para isso. Não se esqueça de deixá-la sempre carregada!

Já assistiu à peça Os Homens Querem Casar & As Mulheres Querem Sexo 2?

Já assistiu à peça Os Homens Querem Casar & As Mulheres Querem Sexo 2?

No Teatro Frei Caneca, na capital paulista, estreou no dia 12 a peça “Os Homens Querem Casar & As Mulheres Querem Sexo 2”.

A obra é a continuação da primeira versão do espetáculo, que ficou dez anos em cartaz e conquistou milhares de fãs pelo Brasil.

A comédia conta a história de Jonas (Carlos Simões) e sua busca desastrada pela mulher perfeita. Neste processo, ele encontra Deus (Danielle Niño) e descobre que além de ser mulher, é cearense. Deus então propõe a Jonas passar a sentir tudo que as mulheres sentem para entender a visão feminina sobre o universo masculino. Divertido, não?

A peça conta com o apoio da Autosimples na logística e transporte dos atores, fato que nos orgulha muito e, claro, rende risadas a todo o instante! Créditos ao Carlos e a Danielle, sempre muito simpáticos, como na foto acima, com o nosso consultor de comercial, Luciano Mazetto.

O espetáculo fica em cartaz até 30 de novembro e ocorre todas as quintas-feiras, às 21h. Os ingressos custam R$ 60 e a censura é 14 anos. Mais informações no www.teatrofreicaneca.com.br/os-homens-querem-casar-e-as-mulheres-querem-sexo-2

Saiba tudo sobre a cadeirinha de carro para crianças

Saiba tudo sobre a cadeirinha de carro para crianças

A cadeirinha para bebês e crianças, também conhecida (ou não) como dispositivo de retenção infantil, é essencial para a segurança das crianças nos veículos. Não precisamos informar que o seu pequeno estará muito mais seguro acomodado neste assento do que no banco do carro, certo? Basta pesquisar rapidamente pela internet para conferir estudos sobre a importância desse item.
Mas, afinal, qual cadeirinha é a mais indicada para a idade do meu filho? Vamos lá! Segundo o Inmetro, as cadeirinhas são classificadas por grupos.

Grupo 0: bebê-conforto para bebês de até 10 quilos, altura aproximada de 72 cm e até 9 meses de vida;

Grupo 0+: este outro modelo de bebê-conforto, mas recomendado para crioanças de até 13 quilos, com altura de 80 cm e até 12 meses de vida;

Grupo 1: cadeirinha indicada para crianças de nove a 18 quilos, cerca de um metro e idade até 32 meses;

Grupo 2: cadeirinha ou assento de elevação voltado para crianças de 15 a 25 quilos, 1,15 metro e com até 60 meses;

Grupo 3: para crianças que pesam entre 22 e 36 quilos, 1,30 metro de altura e até 90 meses de idade.

Outro ponto importante a considerar é como é feita a instalação do item no seu veículo. As marcas (são muitas, acredite) utilizam tecnologias distintas para as cadeirinhas, portanto, escolher a que melhor se adapta ao seu automóvel é fundamental para você e o seu filho. Fique atento às especificações, materiais utilizados (em especial se o seu pequeno sofrer com alguma alergia) e a forma como se deve acomodar o bebê. Os preços também variam bastante e vale a pesquisa de mercado.

Outras dicas rápidas: evite colocar qualquer tipo de almofada no pescoço do bebê. Não deixe objetos no tampão do carro, próximos às crianças ou no painel do motorista. Isso porque eles adquirem força durante um acidente e podem machucar o bebê e também os adultos. Nunca faça modificações ou acréscimos no dispositivo e tenha uma ótima viagem!

10 itens que você mesmo pode checar no carro

10 itens que você mesmo pode checar no carro

Nem tudo é motivo para consultar um mecânico, meu amigo. Alguns itens podem – e devem – ser feitos por você mesmo, no dia a dia com o seu carro. Abaixo separamos um check-up básico que vai evitar que você tenha surpresas desagradáveis. Confira.

1 – Água: o nível de água é imprescindível que seja checado antes de uma viagem, por exemplo. Sem ela, o carro não sobrevive!

2 – Óleo: outro nível a ser verificado. Outro item de extrema importância e que mantém o seu motor sempre em movimento.

3 – Estepe: nunca deixe em mau estado, afinal ele será fundamental em situações adversas.

4 – Extintor: confira sempre se ele está no local correto e com o prazo de validade em dia.

5 – Luzes: os piscas, a luz de freio, a ré, o alerta, a iluminação traseira, os faróis alto e baixo devem sempre ser testados antes de pegar a estrada.

6 – Itens de emergência: a presença do macaco, do triângulo de sinalização e da chave de roda do veículo são itens obrigatórios!

7 – Freio de mão: verifique se ele está regulado, afinal, você pode precisar usá-lo em uma ladeira.

8 – Volante: antes de um percurso mais longo, faça um teste com o carro e repare se há trepidações. Isso pode indicar algum problema de alinhamento e balanceamento.

9 – Palhetas: a checagem pode ser feita de forma visual. Não tem segredo, basta ver o desgaste da borracha.

10 – Pneus: devem ser vistos bem de perto para identificar possíveis rachaduras ou desgaste excessivo.

Encontrou algum problema? Fale com a Autosimples! para resolver em instantes, com preço justo e qualidade comprovada!

A diferença entre pintura, funilaria e martelinho

A diferença entre pintura, funilaria e martelinho

Com tantas opções na praça, fica difícil saber qual profissional é o mais indicado para cuidar de uma avaria na lataria do seu carro. Quando a empresa realiza vários tipos de trabalho, mais difícil ainda, porque, muitas vezes, consertamos o veículo e nem sabemos qual técnica foi utilizada. É por isso mesmo que preparamos este texto para você.

FUNILEIRO
É o profissional que recupera a peça danificada. O objetivo principal é trabalhar para manter as peças originais do carro e só realizar uma troca em último caso.

PINTOR
Na realidade é uma das funções do funileiro. Toda peça que vai para a funilaria é pintada, pois foi danificada com riscos, manchas e colisões. A cor é altamente afetada nesses casos, necessitando de uma nova pintura. É aí que entra esta etapa.

MARTELINHO
É um trabalho artesanal, digamos assim, que busca recuperar os danos sem mexer na pintura. Se você se deparar com uma situação desse tipo, saiba que este profissional é a escolha ideal para estragos feitos por chuva de granizo, pedras do asfalto e todo tipo de amassado que não agrediu a pintura do carro. Caso contrário, o trabalho terá de ser feito pelo martelinho e o pintor.

DICA: consulte a Autosimples! antes de realizar este serviço. Por quê? Simples: porque temos uma ampla rede de fornecedores especializados que vão trabalhar apenas no que é necessário, entregando um serviço de primeira linha, com o padrão de qualidade que a Autosimples! é conhecida. Deixe para trás a busca incessante por funilarias ou martelinhos e entregue este trabalho para nós. Além de economizar, você terá a tranquilidade de receber o seu carro novo outra vez. Consulte-nos!

Calço hidráulico: e agora? Aliás, o que é isso mesmo?

Calço hidráulico: e agora? Aliás, o que é isso mesmo?

Quando o mecânico informa que o seu carro sofreu calço hidráulico dá até um frio na barriga, não é mesmo? A pergunta, porém, é uma só: o que, de fato, é isso e como resolver?

Tecnicamente, calço hidráulico é uma falha do motor de combustão interna, que pode não funcionar devido ao fluído que entra na câmara de combustão acima do pistão e impede que ele complete seu ciclo. Enquanto a mistura combustível e ar usual é compressível, os líquidos são extremamente difíceis de comprimir, o que significa que os pistões vão parar no movimento ascendente, resultando em danos graves ao motor. Em poucas palavras: o motor vai deixar de funcionar!

OS SINTOMAS
Os efeitos dependem do estado do veículo no momento em que a água entrar na câmara de combustão. Se um calço hidráulico ocorre quando o veículo estiver em marcha lenta ou ponto morto, o carro normalmente irá parar e não permitirá que você ligue usando apenas o motor de arranque. Esta é a situação ideal, resultando em danos mínimos ou nulos ao veículo.

Se com ele funcionando, as consequências podem ser drásticas. Dependendo da quantidade do líquido, pode danificar não apenas um, mas todos os pistões e bielas do carro. Neste caso, a paralisação do motor é imediata.

Se você estiver em alta velocidade, a força do eixo que empurra as bielas do pistão fará com que elas empenem. Neste processo, cárter ou cabeçotes podem ser arruinados e os rolamentos destruídos. Até rachaduras no bloco são possíveis.

TEM CONSERTO?
Primeiro de tudo, se você não pode evitar que entre água no seu motor, certifique-se de desligá-lo antes que a água tenha alguma chance de atingir a entrada de ar. Se isso já aconteceu e o motor parou, não tente reiniciá-lo e chame imediatamente a Autosimples!. Vamos encaminhar o caso para um dos nossos mecânicos especializados para garantir que os danos sejam mínimos.

Situações graves, como as descritas acima (leia-se: quando a unidade foi danificada) geralmente levam a problemas tão profundos que o motor precisa ser substituído por completo, pois tentar reconstruí-lo depois de vários componentes principais falharem só resultaria em custos ainda maiores.

Saiba o significado dos emblemas das marcas de carro

Saiba o significado dos emblemas das marcas de carro

Um post pra lá de curioso essa semana, pessoal. Vamos logo ao tema do nosso título, porque o que não falta nessas montadoras é história!


Audi
As quatro argolas representam a fusão das empresas Horch, DKW, Audi e Wanderer. Elas se juntaram em 1932 para então formar a Audi. Outra curiosidade: a palavra “audi” significa “ouvir” em latim, mesmo significado da palavra “horch”, em alemão.


BMW
A BMW fazia parte da Rapp Motoren Werke, da qual sua marca herdou a forma redonda. As cores azul e branco fazem alusão às cores oficiais do Estado da Baviera, na Alemanha, onde a empresa fora fundada.


Chery
Apesar de parecer apenas a letra “A” dentro de um círculo estilizado, o logo da Chery é a sigla CAC, que significa Chery Automobile Corporation. Além disso, o “A” é desenhado de uma forma para parecer o caractere japonês 人, que significa “pessoa”. As letras “C” são posicionadas de forma cuidadosa para passarem a ideia de um desenvolvimento infinito.


Chevrolet
Em busca do sucesso, a Chevrolet decidiu usar uma gravata-borboleta em formato de cruz. No entanto, não existe nenhuma confirmação sobre a inspiração. Certa vez, o cofundador da marca, William C. Durant, afirmou que se inspirou no design de um papel de parede de um hotel em Paris. Sua filha, por outro lado, afirma que o design foi elaborado pelo pai durante um jantar de família. Uma terceira teoria remete às origens de Louis Chevrolet. Filho de franceses, mas nascido na Suíça, ele pode ter se inspirado na bandeira do seu país de origem.


Citroën
A montadora carrega duas letras “V” de ponta cabeça, representando um par de engrenagens helicoidais, desenvolvidas e patenteadas pelo engenheiro e fundador da Citroën, Andre Citroën.


Ferrari
Francesco Baracca, famoso piloto de avião e herói italiano na Primeira Guerra Mundial, tinha o hoje famoso cavalinho no painel de seu avião. Em 1923, Enzo Ferrari conheceu os pais de Baracca e ouviu a sugestão da mãe do herói de que se o engenheiro colocasse o símbolo em seus carros teria boa sorte. O pedido não só foi atendido como teve a adicionado o amarelo no fundo, em referência a Modena, terra natal de Enzo. No topo, as cores verde, branco e vermelho representam a bandeira italiana e, na parte de baixo, as letras S e F significam Scuderia Ferrari.


Fiat
Depois de passar por uma modificação em 2006, a Fiat teve seu formato circular substituído por algo mais parecido com um escudo. A substituição do azul pelo vermelho foi feita para conectar a ideia de modernidade com a marca.


Ford
O selo da Ford não tem nenhuma história confirmada sobre sua origem, apenas o nome, que segue a caligrafia de seu fundador, Henry Ford. No entanto, Jan Valentic, VP de Marketing Global da marca, falou em depoimento uma vez sobre a força do logo: “o formato oval da Ford é um símbolo poderoso, conhecido por todo mundo como um ícone da companhia que coloca o mundo sobre rodas”.


Honda
Obviamente possui um grande H. O resto é um mistério. Especula-se que o logo busca inspirar confiança e durabilidade com suas linhas grossas. Também se diz que a abertura maior na parte de cima do H representa braços abertos em direção ao céu em busca de sonhos, o que reflete o lema oficial da empresa: “o poder dos sonhos”.


Hyundai
Além de ser uma letra “H”, a inicial da montadora, representantes da marca afirmam que o logotipo também mostra duas pessoas, o consumidor e a companhia, unidos em um aperto de mão. O objetivo é passar a ideia de respeito e confiança de ambas as partes.


Jac Motors
Embora não exista uma versão oficial, existem teorias de que o símbolo seja inspirado nos logos da Chrysler e da Mercedes-Benz. Pura especulação, admitimos.


Kia
O logo da Kia é simples, mas possui um detalhe para diferenciá-lo: o “A” não possui o corte característico no meio da letra. O símbolo oficial da marca tem o fundo branco, que significa pureza, elegância e transparência para o cliente, e vermelho, que representa a determinação por uma rápida evolução e faz parte do slogan da empresa “O poder da surpresa”. Kia, se traduzido do coreano, significa emergindo da Ásia para o mundo.


Land Rover
A famosa marca verde surgiu em 1989, quando substituiu o emblema em que uma letra “Z” cruzava o nome da montadora. A letra refletia o lema da empresa: “acima e além”. O que sobrou dessa característica foram os detalhes ao lado das palavras “land” e “rover”.


Mercedes-Benz
A estrela de três pontas da montadora representa as três áreas para as quais ela fazia meios de transporte: ar, água e terra.


Mitsubishi
É a união entre os emblemas da família Yataro Iwasaki e Yamanouchi, do clã Tosa. Iwasaki é o fundador da Mitsubishi e seu emblema representava três folhas de castanheiras empilhadas, enquanto o logo Yamanouchi representava três folhas de carvalho em formato de estrela.


Nissan
O círculo prata com o nome da empresa em uma faixa prata no meio faz referência às origens da empresa. Pouca gente sabe, mas a marca incorporou o logo da Datsun, que era a marca de exportações da empresa. O logo era uma faixa azul com o nome Datsun sobre um círculo que representava o sol, como alusão ao Japão, também conhecido como a “terra do sol nascente”. A montadora substituiu o Datsun pelo Nissan no logo em 1984 e, em 2012, criou a versão atual que mantém a faixa com o nome sobre um círculo, só que na cor prata, que representa qualidade japonesa, inovação, elegância e motivação para o sucesso.


Peugeot
O famoso leão da montadora apareceu pela primeira vez em 1847, quando a empresa ainda era especializada na produção de aço e lâminas. O animal representava todas as qualidades de seus produtos: uma lâmina maleável, com corte rápido e dentes fortes.


Porsche
A famosa marca possui as cores da bandeira da Alemanha e o nome da cidade em que sua base está situada (Stuttgart). A figura do cavalo passa a imagem de poder e rapidez. Além disso, são animais criados em Stuttgart.


Renault
O diamante apareceu pela primeira vez em 1925, muitos anos depois de sua fundação, em 1899. O prata, cor escolhida para o emblema, passa a ideia de sofisticação e criatividade.


Subaru
As seis estrelas presentes representam o aglomerado de estrelas Pleiades, da constelação Taurus. O próprio nome Subaru significa “as seis estrelas Pleiades”, em japonês. A estrela maior representa a empresa mãe da Subaru, a Fuji Heavy Industries, e as demais cinco estrelas representam as empresas que se uniram para a criação da marca.


Toyota
Além das formas ovais do logo da Toyota formarem uma letra “T”, as duas partes que se encontram dentro do círculo representam o coração do consumidor e dos produtos, ambos entrelaçados. O parte oval de fora é o mundo abraçando a marca. Além disso, os espaços em branco do emblema representam as sílabas presentes na palavra “Toyota”, em japonês.


Volkswagen
O emblema da Volkswagen não tem nenhum mistério: são suas iniciais, “V” e “W”, posicionadas uma em cima da outra.


Volvo
O nome Volvo vem do latim volvere e significa “eu rodo”. O círculo com a seta é o símbolo do deus grego Marte e também representa o antigo símbolo químico para ferro.

Luz da injeção eletrônica acesa: saiba como proceder

Luz da injeção eletrônica acesa: saiba como proceder

Não adianta: uma hora ou outra você vai passar por essa situação. Sim, é muito comum acender (ou piscar) a luz da injeção eletrônica de um veículo, portanto, fique calmo e vamos às causas e soluções.

Conceitualmente, o sistema de injeção comanda a alimentação de combustível e gerencia o motor. Na prática, sempre que giramos a chave na ignição, esta central verifica se o sistema está em perfeita condições. A bomba de combustível entra em funcionamento e, com isso, a central consegue checar se está havendo continuidade elétrica e se todos os sensores e atuadores estão prontos para funcionar.

Ou seja, quando há algum problema em um desses processos, a luz da injeção eletrônica dispara o sinal de alerta no seu painel de instrumentos. A grande sacada é o problema fica registrado na memória de falhas (Memory Fault) da central. Isso permite que, ao levar o veículo para uma oficina, o problema consiga ser identificado por um técnico através da utilização de um scanner.

Porém, antes de se desesperar, desligue o veículo por alguns minutos e depois ligue-o novamente e verifique se a luz permanece acesa ou piscando. Há casos em que o problema não é permanente e sim intermitente (aparece em algumas situações). Em todo caso, vá verificar o problema o mais breve possível. Na Autosimples, contamos com mecânicos altamente especializados e orçamentos que cabem no seu bolso. Consulte-nos! 😉

Direção defensiva não é dirigir devagar; entenda

Direção defensiva não é dirigir devagar; entenda

Mais do que evitar um acidente, guiar de forma correta, a partir do conceito de direção defensiva, é uma questão de conduta responsável e civilidade. E veja bem, em especial para os apressadinhos: dirigir de forma defensiva não é dirigir devagar. Confira abaixo algumas dicas que vão mudar o seu pensamento sobre este assunto.

Manutenção: antes de falar sobre o motorista, vamos deixar claro que o veículo também merece cuidados na direção defensiva, e isso quer dizer que, para evitar situações de perigo, o carro deve estar com a manutenção em dia. Você presta a devida atenção a este item?

Posição ideal de dirigir: braços e pernas devem ligeiramente dobrados, corpo encostado no assento e encosto com ângulo próximo a 90 graus e encosto de cabeça na altura dos olhos do motorista.

Cinto de segurança: deve ser usado por todos a bordo, sem exceção. Sem ele, passageiros do banco de trás poderão ricochetear no interior do veículo, causar ferimentos nos que vão à frente e ser lançados para fora do carro.

Crianças: com menos de dez anos de idade vão no banco traseiro, acomodadas em cadeirinhas ou boosters de acordo com sua altura e peso. Acima disso, ainda no banco traseiro, com cinto de segurança.

Ao volante: deve-se evitar freadas e manobras bruscas e sempre sinalizar os movimentos, como mudanças de faixa. Parece óbvio, mas muita gente esquece de ligar o pisca ao fazer uma conversão e leva uma trombada pela traseira.
Outra atitude prudente é respeitar a sinalização. Uma placa dizendo “reduza” não foi colocada à toa. #ficaadica

Velocidade: a 100 km por hora um veículo está percorrendo 30 metros por segundo. Esse é o tempo e espaço para perceber um problema, identificá-lo e reagir a ele. É pouco tempo. A solução é manter a maior distância possível dos outros veículos e dos obstáculos. Vale usar a regra dos dois segundos: esse é tempo mínimo entre a passagem do veículo que vai à sua frente e a do seu veículo por um mesmo ponto fixo às margens da rodovia.

Visibilidade: Quanto mais se enxerga em volta, menor é o perigo. Os três retrovisores devem estar em posição que o motorista não tenha que virar muito a cabeça para vê-los.

Concentração: Celular tocando e rádio ligado reduzem a concentração. Melhor desligar o telefone e não ouvir o som muito alto. Coisas simples que fazem enorme diferença.

ALERTA FINAL: O uso de bebidas alcoólicas, drogas e rebites antes de dirigir é meio caminho andado para o acidente. Evitá-los é ser defensivo.

Veja o resultado de uma higienização feita pela Autosimples

Veja o resultado de uma higienização feita pela Autosimples

As fotos abaixo foram tiradas recentemente, com o antes e depois de um serviço de higienização que fizemos para um dos nossos clientes.

Veja a diferença que faz um bom trabalho de limpeza interna. Isso porque, durante o uso do veículo, acumulamos um volume inimaginável de sujeira – e que muitas vezes não é visível. Essa camada mais densa geralmente fica “escondida” no estofamento e também no teto, áreas que permitem a absorção de poeira.

Ou seja, fazer uma higienização no seu carro nada mais é do que manter o espaço protegido contra bactérias e fungos que podem, inclusive, fazer mal à saúde.

Confira abaixo o resultado do nosso trabalho. Devolvemos a Safira do cliente brilhando, literalmente, com destaque para os bancos, que nem parecem os mesmos. Se você ainda não conhece este serviço, faça uma cotação conosco. O seu carro terá o mesmo resultado!

ANTES


DEPOIS